Algarve

Algarve: destino turístico multifacetado

Região a sul de Portugal, recortada por um imenso mar de variações de azul, o Algarve é internacionalmente conhecido pelo clima ameno e solarengo, pelas praias, pelo turismo de qualidade, pelo cosmopolitismo das gentes e pela vida das cidades, que garantem animação todo o ano. Mas, na verdade, a região algarvia é isto e muito mais. E está tudo tão perto, para descobrir.

O Algarve é a província mais a sul de Portugal. Faz fronteira com o Alentejo a norte, com o oceano Atlântico a oeste e a sul, e com Espanha, através do rio Guadiana, a oriente. De todas as regiões de Portugal continental é aquela que, por razões históricas e geográficas, se apresenta mais bem definida, tendo sido a última parte do território nacional a ser conquistada ao domínio muçulmano.

A origem do nome Algarve remonta à ocupação árabe: al-Garb significa o país do lado em que o sol se põe. Em termos geográficos, podemos identificar três sub-regiões naturais que se distinguem, também, pelos modos de vida das populações algarvias: a serra, o barrocal e o litoral. Unidas pela rede viária, que tem na Via Infante D. Henrique (A22) e na Estrada Nacional 125 os seus principais eixos, estas sub-regiões proporcionam, de facto, diferentes percursos, possíveis caminhos para explorar o Algarve.

É ainda comum dividir-se o Algarve em Barlavento e Sotavento. Esta divisão tem origem no regime de ventos que se fazem sentir na região. O Barlavento corresponde à faixa litoral sul onde sopra a nortada, enquanto que o Sotavento, por seu lado, corresponde à restante faixa litoral até ao rio Guadiana. O Barlavento, a parte ocidental do Algarve, engloba os concelhos de Aljezur, Vila do Bispo, Monchique, Lagos, Portimão, Silves, Lagoa, Albufeira e parte do Concelho de Loulé. A área definida pelo Barlavento algarvio ocupa uma superfície de 2782 Km2, o que representa 56% da área total da região.    O Sotavento algarvio corresponde à parte oriental do Algarve e ocupa uma área de 2200 Km2. Engloba os concelhos de Alcoutim, Castro Marim, Vila Real de Santo António, Tavira, Olhão, Faro, São Brás de Alportel e ainda algumas freguesias do Concelho de Loulé (Ameixial e Salir). Faro é a cidade mais importante da região e também a capital distrital.

A serra ocupa toda a parte norte da região, abrangendo também o litoral ocidental. Nesta sub-região destaca-se a Serra de Monchique, ponto histórico do turismo de saúde e termal em Portugal. Hoje, com a sua oferta de villas Spa, é destino de referência para lazer, descanso e contacto com a natureza. A subida à Serra de Monchique, em direcção à Fóia, vai desvendando as paisagens serranas e culmina com uma vista, do ponto mais alto do Algarve, a quase 1000 metros de altitude, que se estende até ao Cabo de São Vicente, em Sagres, o extremo sudoeste da Europa. Pelo caminho, há que provar os sabores da serra, os enchidos, a carne de porco preto, os doces tradicionais, e acompanhá-los com a Aguardente de Medronho, forte bebida alcoólica, ou a Melosa, um licor de mel típico da região. Monchique merece uma visita, mas a serra algarvia pinta-se ainda de concelhos como os de Alcoutim, no Sotavento, e Aljezur, onde a serra e o mar se encontram.

O percurso do Barlavento barrocal e litoral faz-se pelas carismáticas cidades de Albufeira, Silves, Portimão, Lagos, a sua freguesia da Praia da Luz, e da Vila do Bispo, a Sagres e Aljezur. Devido à sua urbanização única, voltada para o mar, toda a vida económica e social se concentra numa estreita faixa litoral. Comércio, cultura, movida, é lá que a acção tem lugar.

Os restaurantes, dos sabores genuínos, como o peixe fresco grelhado, ou dos sabores elaborados da cozinha mais experimental, marcam normalmente o início de uma noite que se alonga até ao nascer do sol. Os bares, clubes, discotecas trendy e as salas de jogos, como o Casino de Vilamoura ou o Casino da Praia da Rocha, fazem justiça à conhecida noite algarvia. O dia, esse, pode ocupar-se à descoberta dos diversos monumentos e locais históricos, que dão conta do riquíssimo passado da região. O emblemático Castelo de Silves, o Forte Ponta da Bandeira, em Lagos, a Fortaleza de Sagres e os Monumentos Megalíticos na Vila do Bispo são apenas alguns deles.

 A oferta cultural, variada, é proporcionada ao longo de todo o ano por bons equipamentos culturais. É o caso do Tempo, Teatro Municipal de Portimão, e o Centro Cultural de Lagos, espaços de encontro com as artes visuais e de palco. Esta oferta cultural está ainda congregada no Allgarve, um programa integrado de eventos culturais que decorre todos os anos entre os meses de Fevereiro e Dezembro.

Para os amantes dos desportos, o Algarve oferece condições inigualáveis. A criação recente do Autódromo Internacional do Algarve, entre Portimão e Lagos, colocou o Barlavento no circuito das grandes competições, fazendo da região um destino desportivo consagrado também no automobilismo, como já o é no golfe, no hipismo e no ciclismo. E as praias algarvias, com as suas águas serenas ao sul, e revoltas ao longo da Costa Vicentina, são adequadas à prática dos mais variados desportos náuticos, como a canoagem, o windsurf, o bodyboard e o surf. Sejam extensos areais ou secretos recortes de areia entre as rochas que se impõem sobre o mar, as praias são, sem dúvida, um forte argumento para visitar a região. Mais uma das incontáveis razões para pegar no carro e sair à descoberta do Algarve.

5 Sentidos - Agenda Cultural de Lagos
Autódromo do Algarve
ANA – Aeroporto de Faro
Programa Allgarve
TEMPO - Teatro Municipal de Portimão
VisitAlgarve – Portal de Turismo do Algarve